O tempo é aliado ou vilão?

“As pessoas eficazes não vivem voltadas para os problemas, elas vivem voltadas para as oportunidades”

Peter Drucker

O tempo… existe democracia maior do que a distribuição do tempo? Todos nós, independente de classe social, raça ou credo, ganhamos diariamente vinte e quatro horas para desfrutarmos. E como cuidadamos desse presente? Há pessoas que cuidam bem, o seu dia é produtivo, a sua vida é equilibrada. Outros, talvez a maioria, o utilizam de forma inadequada e vivem reclamando da falta dele. Ora, o tempo é personalizado, é impossível transferir parte dele a outros ou acumular para ser utilizado no dia seguinte. Mas, é possível se desapegar de atividades passíveis de serem realizadas por terceiros, dos medos, da necessidade de ser visto como uma pessoa sempre ocupada.

Só que a atitude do desapego não é uma prática fácil, especialmente para os centralizadores. Assim, cabe refletir sobre o que acontece todos os dias, em seu ambiente para entender a rotina. Começando por identificar os vilões que roubam-lhe o tempo e os estímulos que o tiram do foco. Ao reconhecer hábitos e comportamentos que desempenha no dia a dia, tomará consciência dos modelos que funcionam e das mudanças emergentes para tornar o tempo mais produtivo.

Segundo comentário de Peter Senge em “A quinta disciplina”, referindo-se ao tempo dos administradores e seus hábitos de aprendizagem, o autor inferiu que “… a maioria não reflete sobre seus atos. O que ocorre é que eles adotam uma estratégia e assim que começam a ter problemas, mudam para outra e mais outra. Num exercício simulado de quatro anos, eles adotam de três a seis estratégias diferentes, sem examinar porque não está dando certo”.

Afinal, o que impede as pessoas de aprenderem observando seus próprios comportamentos? Não somos capazes de mudar aquilo que desconhecemos, por isso, vale questionar os procedimentos rotineiros para descobrir se o tempo é um aliado ou vilão. Avalie, agora, como se comporta diante das seguintes questões:

  • Por acaso, faz parte daquele grupo pessoas que diz sim a todos que os abordam, trazendo-lhes mais uma atividade a ser incluída na agenda diária?
  • Assuntos urgentes sempre terminam em suas mãos porque “somente” você é capaz de solucioná-los?
  • Quando está quieto em seu espaço, pensando em estratégias para gerar melhores resultados, pessoas entram sem pedir licença, sentam-se e começam a falar de assuntos banais ou fora do meu propósito, tomando parte do seu tempo por acreditarem que você está sempre disponível?

Responder sim a qualquer uma dessas perguntas implica em ações de mudanças de comportamentos, começando por aprender a dizer não. Essa é outra atitude em que as pessoas têm dificuldades em adotar, já que no ambiente de trabalho ser colaborativo faz parte do senso de equipe, todavia, ajudar o outro a cumprir a atividade dele enquanto a sua se acumula, é improdutivo. Se tiver tempo disponível, assuma a responsabilidade, se não, decline-a com sabedoria. Deixe claro os motivos que o impede de assumir mais uma atividade.

A grande sacada para a boa gestão do tempo é organizar os compromissos que deverão ser realizados do decorrer do dia, priorizando as atividades de acordo o valor de cada uma. Primeiro, separe o que é importante daquilo que é urgente. Atividades importantes são aquelas que trazem ganhos significativos aos negócios. As urgentes podem gerar resultados ou não, mas devem ser cumpridas para evitar outras consequências. Segundo, decida o quanto do seu tempo será dedicado às atividades importantes e às urgentes. Por fim, abra mão daquilo que poderia ser desempenhado por qualquer outra pessoa.

Um dos segredos de altos executivos habituados a atender a inúmeros compromissos ao dia, é deixar vinte por cento do tempo livre em suas agendas, destinado a eventuais imprevistos ou oportunidades. São profissionais focalizadas na solução em vez do problema.

Lembre-se, ainda, de incluir em sua agenda o horário de almoço, o tempo de locomoção, lazer, social, aprendizagem, dedicação a equipe, a família e amigos e outros programas de seu interesse. Com isso, sua vida estará em equilíbrio e o tempo será o seu maior aliado.

Noscilene Santos, Coach Internacional, apresentadora do programa A Hora do Coaching www.tvgeracaoz.com.br, autora do Manual prático de Coaching – Ferramentas para potencializar competências de liderança. Membro ICF – International Coaching Federation e Administradora membro do CRA-SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *